segunda-feira, 15 de junho de 2009

O Novo Sistema Solar


Em 24/08/2006 a Assembleia Geral da União Astronômica
Internacional estabeleceu uma nova definição de planeta.
A resolução final da União Astronômica Internacional (IAU)
ficou em algo intermediário da proposta inicial, que definia
12 planetas, e da posição mais radical de eliminar Plutão do
grupo de planetas. Eu diria que o sistema solar não perdeu
Plutão mas, sim, ganhou 3 novos planetas anões: o próprio
Plutão, o antigo asteróide Ceres e o novo objeto descoberto
em 2003 UB313 (apelidado provisóriamente de Xena).

-O que define o planeta clássico:
1 - ser esférico por ação de sua própria massa e gravidade;
2 - orbitar uma estrela (no caso o Sol) sem ser ele mesmo uma
estrela;
3 - ser o astro dominante daquela órbita.


Esta últma premissa é que diferencia planetas clássicos de planetas
anões. Se algum novo objeto descoberto compartilhar sua órbita como
outros astros, ele será um planeta anão, caso contrário será um
planeta clássico. Pela dinâmica do sistema solar, se um astro for
suficientemente grande ele vai dominar sua órbita expulsando e/ou
incorporando (engolindo) os demais astros desta região. É o que
aconteceu nos primórdios da formação do sistema solar com todos os
planetas clássicos. Bem no início havia um enxame de pequenas rochas
e poeira formando um disco ao redor do Sol. A medida que o sistema
solar evoluia, começaram a se formar aglomerados maiores que
enguliam os pequenos da sua órbita, até que um dia todos os detritos
da região foram ou engolidos ou varridos. Isso aconteceu com os 8
planetas clássicos. Mas na região dos asteróides, por influência
gravitacional de Júpiter, os detritos não consegiram se aglutinar
para formar um novo planeta. Ceres foi apenas o maior aglomerado que
se formou e por sua própria gravidade assumiu a forma esférica
(ainda estamos por investigar Vesta, Hypatia e outros asteróides que
podem ou não ser esféricos). Com Plutão aconteceu algo parecido, os
detritos da formação do sistema solar foram varridos para fora (se
não me engano por Urano e depois Netuno) e se formou uma região
conhecida com cinturão de Kuiper. Plutão é apenas mais um destes
objetos (KBO) entre muitos outros mas como assumiu a forma esférica
mereceu a designação de planeta anão (com muita honra, hehehe).
Agora estamos descobrindo outros KBOs que provavelmente são
esféricos e todos cairão na categoria de planetas anões. Acho muito
difícil que exista uma região no cinturão de Kuiper que tenha sido
varrida e onde reine um novo planeta na acepção clássica. Mas nada é
impossível, só o tempo dirá.


Mas lembrem-se que no fundo nada mudou, todos os planetas,
anões e asteróides continuam nas suas órbitas placidamente,
foi apenas a classificação do que é planeta que mudou.

15 comentários:

  1. essa é só uma de varias descobertas que acredito eu que vem pela frente , com a crecimento da tecnologia
    abrç

    vlw pela visita no blog

    www.celebritypoke.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. muito bom texto, apesar deu odoar fisica, quimica e afins...

    http://cemiteriodaspalavrasperdidas.blogspot.com/2009/06/procurando-uma-mulher-invisivel.html

    ResponderExcluir
  3. Interessantíssimo seu blog, mesmo. Confesso que apesar de não ser do tipo que "sempre odiou fisica" e que gosta desses assuntos astronômicos, o nome do blog deixa um pouco em evidência o preconceito de que o conteúdo é maçante, o que não é verdade, muito pelo contrário.
    Gostei mais em especial desse post, que tirou algumas dúvidas minhas quanto à suposta "expulsão" do querido Plutão. Parabéns. (:
    Rafael (ticontar.zip.net)

    ResponderExcluir
  4. Com essa redefinição, será que muda algo na astrologia?. hehehe Chamem um astrólogo!!!

    ResponderExcluir
  5. Querido amigo avassalador...
    Toda vez que leio noticias de mudanças no mapa, seja astronomico ou do mundo... me sinto obsoleta! No meu tempo de bancos escolares a europa e a africa tinham um desenho ... hoje, tudo está completamente diferente... Paises se foram, outros foram subdivididos... O céu tambem está diferente com a inclusão e exclusão ou melhor com o "rebaixamento" de plutão...é, espero que daqui para o dia do meu desenlace ainda veja muitas outras mudanças e que sejam o mais positivas possivel

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito do seu blog, é um assunto diferente.
    Com o avanço tecnológico acredito que ainda serão encontrados muitos outros planetas, asteróides e outros corpos celestes.

    ResponderExcluir
  7. pq os cientista quer mudar oke aprendi a muito tempo...eeeee...mas falando serio toda descoberta sempre sera bem vinda ao nosso conhecimento...

    ResponderExcluir
  8. interessante, gostei mt do texto!

    estam de parabens!

    ResponderExcluir
  9. Verdadeira aula com uma matéria de suprema beleza. Fico lembrando das minhas visitas ao planetário aqui do RJ!

    ResponderExcluir
  10. nossa, muito bom o blog de voces ein, estão de parabéns mesmo, aprendi varias coisas, daqui para frente irei acompanhar o blog diariamente.
    Abraços

    ResponderExcluir
  11. Nossa uma aula mesmo ..r srs

    Muito muito interessante..

    Abç.

    ResponderExcluir